APARELHO FONADOR PDF

A respirao tem dois movimentos: a inspirao e a expirao. A respirao feita atravs dos pulmes, que esto sobre o diafragma, musculo muito forte que controla a sada e a entrada do ar na respirao chamada costo-abdominal a melhor respirao para uma boa emisso do som. Neste tipo de respirao d-se o abaixamento do diafragma, com o alargamento geral das costas na inspirao; na expirao d-se o movimento contrrio. O ar armazenado nos pulmes sai sob presso, passando pelas cordas vocais. A Fonao o processo pelo qual o ar, em forma de coluna, que vem dos pulmes sob presso, passa pelas cordas vocais produzindo som quando as cordas vocais inferiores se unem fazendo-as vibrar. As cordas vocais ficam situadas na parte superior da traqueia, chamada laringe e na laringe que o som se produz.

Author:Arashirn Sahn
Country:Great Britain
Language:English (Spanish)
Genre:Business
Published (Last):11 October 2018
Pages:322
PDF File Size:19.8 Mb
ePub File Size:17.49 Mb
ISBN:674-8-19377-115-7
Downloads:88026
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Malar



O corpo humano possui rgos que so usados para a produo do fonema, estes rgos fazem parte do aparelho Fonador. So eles: Pulmes: agem expulsando a corrente de ar. As Cordas Vocais: com a emisso da corrente de ar, as cordas so estimuladas a produzirem o som. Outros rgos como os lbios, dentes, a lngua e o nariz se foram articulados, podero ocasionar alteraes na corrente de ar.

Ento e qual a diferena entre fonologia e fontica? Bom, a fonologia estuda o comportamento dos sons e dos fonemas numa lngua, enquanto a fontica estuda os sons e os fonemas incluindo a sua evoluo.

Claro que, antes de estudarmos os sons e os seus comportamentos, preciso saber como so os sons produzidos. Afinal, quem quiser inventar uma lngua extraterrestre tem de pensar no modo como os seus estraterrestres produzem sons. O Aparelho Fonador e o seu Funcionamento Para que se produzam os sons que caracterizam a fala humana so necessrias trs condies: :: corrente de ar; :: obstculo corrente de ar; :: caixa de ressonncia; :: o que se traduz no aparelho fonador humano: Os pulmes, brnquios e traqueia - So os rgos respiratrios que permitem a corrente de ar, sem a qual no existiriam sons.

A maioria dos sons que conhecemos so produzidos na expirao, servindo a inspirao como um momento de pausa; no entanto, h lnguas que produzem sons na inspirao, como o zulo e o boximane - so os chamados cliques. A laringe, onde ficam as cordas vocais - Determinam a sonoridade a vibrao das cordas vocais dos sons. A faringe, boca e lngua e as fossas nasais - Formam a caixa de ressonncia responsvel por grande parte da variedade de sons.

Olhemos por um momento para o esquema do aparelho fonador antes de seguir o percurso do ar na produo de sons. Esquema do Aparelho Fonador surdo; se estiverem fechada, o ar fora a passagem fazendo as pregas muscular vibrar, o que d origem a um som sonoro. Para se perceber melhor a diferena, experimente-se dizer "k" e "g" no "k" ou "kapa", nem "g" ou "j"; s os sons "k" e "g" mantendo os dedos na ma-de-ado.

No primeiro caso no se sentir vibrao, mas com o "g" sentir-se uma ligeira vibrao - cuidado apenas para no se dizerem vogais, pois so todas sonoras. Depois de sair da laringe 2 , o ar entra na faringe 4 onde encontra uma encruzilhada: primeiro a entrada para a boca 5 e depois a para as fossas nasais 6.

No meio est o vu palatino 7 que permite que o ar passe livremente pelas duas cavidades, originando um som nasal; ou que impede a passagem pela cavidade nasal, obrigando o ar a passar apenas pela cavidade bucal - resultando num som oral. A diferena bvia: compare-se o primeiro "a" em "Ana" com o de "manta". A primeira vogal oral e a segunda nasal. Por fim, o ar est na cavidade bucal a boca que funciona como uma caixa de ressonncia onde, usando os maxilares 8 , as bochechas e, especialmente, a lngua 9 e os lbios 10 , podem modular-se uma infinidade de sons.

A ttulo de curiosidade, gostaria apenas de recordar um pouco a histria do Homem. Discute-se que a linguagem humana pode ter surgido h cerca de mil anos, mas pensemos numa poca mais recente - h cerca de 40 mil anos. Nesta altura, e devido a reconstrues tendo por base o registo arqueolgico, sabe-se que o aparelho fonador dos Neandertais tinha algumas diferenas marcantes do Homem moderno, nomeadamente, a laringe encontrava-se mais elevada. Isto significa que a lngua tinha uma mobilidade menor, limitando a possibilidade da produo de sons.

Som e Fonema - Transcries Bom, at aqui j vimos como so os sons produzidos de um modo bsico. Mas muitas questes esto ainda por resolver: por exemplo, qual a diferena entre um "p" e um "k"? Onde e como so estes sons produzidos? A resposta, no entanto, tem de ser um pouco adiada. Primeiro preciso estabelecer algumas noes relativas aos sons e sua transcrio para que uns no falem de "alhos" e outros entendam "bugalhos"! Para comear preciso distinguir som de fonema. Se todos sabemos o que um som ainda agora mesmo vimos como se produziam!

Um fonema um elemento de significado, o mais pequeno que existe numa palavra - e que quase se pode confundir com um som! Repare-se nas seguintes palavras: Se no fosse pelo "s" e "t" iniciais, as palavras no se distinguiriam. Assim, tratam-se de duas unidades - representadas fisicamente pelo som tornam-se audveis - que representam uma ideia. E como se distinguem sons de fonemas? Agora vem um outro problema: como que se sabe que som qual quando se escreve [a]?

Ser o [a] de "rvore" ou de "cana"? Sabe-se que o [a] de "rvore" porque existe um alfabeto fontico internacional, que convencionou os smbolos que representam cada som e fonema. Apesar de poder haver algumas interpretaes ligeiramente diferentes dos smbolos de lngua para lngua. A Classificao dos Sons Lingusticos Para a classificao dos sons preciso ter em mente trs questes importantes: Como que os sons so produzidos? Como so transmitidos?

Como so entendidos? Tradicionalmente, devido complexidade bvia na classificao segundo a transmisso e a compreenso, a classificao dos sons baseia-se essencialmente no modo como os sons so produzidos, ou seja, na sua articulao. No entanto, em alguns pontos classificatrios tambm se baseia no modo como so transmitidos, ou seja, na acstica.

Ao expirar, os pulmes libertam ar que passa pelos brnquios para entrar na traqueia 1 e chegar laringe 2. Na laringe o ar encontra o seu primeiro obstculo: a glote 3 mais ao menos ao nvel da ma-de-ado, chamada de gog no Brasil , mais conhecida como cordas vocais. Semelhantes a duas pregas musculares, as cordas vocais podem estar fechadas ou abertas: se estiverem abertas, o ar passa sem real obstculo, dando origem a um som Interesses relacionados.

INVENSYS WONDERWARE PDF

O Aparelho Fonador e os Mecanismos de Produção dos Sons

.

HAEMATOXYLUM CAMPECHIANUM PDF

Aparelho Fonador

.

Related Articles